27.12.09

Logo hoje que queria tanto falar!



O silêncio apareceu!
Logo hoje, que queria tanto falar!
Não posso esquecer que é Natal.
As ruas vestem-se de vermelho
E as pessoas de alegria,
Mas este silêncio disse-me para não fazer barulho;
- pssss…, Cala-te.

Este Silêncio
Diz que não quer ser interrompido
Nos seus silêncios.
Disse-me também que quando fala
Não gosta de ouvir ruídos.
Estou atónico,
Logo hoje que queria tanto falar!
Então, estou em silêncio total
Só falo por dentro.

A minha alegria, que não gosta de silêncios,
Deixou-me.
Disse-me que não estava para me aturar,
E saiu.
Foi às compras, penso eu!
E com razão.
No Natal, este silêncio?
Quando todo o mundo apesar de nada dizer
Anda a fazer ruído.
Estou a perder a cabeça
Logo hoje que queria tanto falar!
Este é um momento de…
Não silêncio.
Afinal, é Natal
Até a racionalidade por esta altura está
Fora de si.
E eu, por aqui abandonado,
Com esta dor feita do silêncio.
Ainda ontem estava feliz.
Estou agora sozinho, triste e em silêncio
Tudo por causa de um silêncio estúpido,
Teima em aparecer por estas alturas
Logo hoje que queria tanto falar!
Fico sem saber, se este silêncio
Aparece apenas para me aborrecer
Ou simplesmente para me dizer
Que ainda há muita gente,
Sem o perfume do Natal…

José Luís Lopes

2 comentários:

  1. Quando o ruído é tanto
    Que fere a alma de quem sofre,
    O silencio é de ouro!

    ResponderEliminar